GUIA DE COMPRAS PARA PATINS
uma produção original da Monster Sports.

Descubra tudo sobre patins com este guia simples e didático
saiba quais as melhores peças para atender suas necessidades.

APRESENTAÇÃO

Fugir do sedentarismo, se divertir, distrair, trabalhar seu corpo e sua mente, sim, os patins podem fazer isso por você. Sabe porquê? Durante essa prática esportiva, diversas funções motoras são acionadas e para conseguir manter o equilíbrio durante um trajeto, diferentes regiões do cérebro são estimuladas, melhorando a concentração, aprimorando um raciocínio lógico e rápido, que se expande a outras funções alheias ao esporte, como exemplo: trabalho e estudos. Adultos ansiosos e crianças com problemas de atenção podem apresentar melhoras significativas com poucos treinos semanais.

Se interessa pela patinação mas ainda não sabe por onde começar? Não se preocupe, criamos este guia especialmente para você!

Nossa intenção é oferecer o máximo de conhecimento sobre o tema, para que possua embasamento no momento da compra e encontre tudo que precisa, sem ter que passar horas navegando em dezenas de sites com informações fracionadas e incompletas.

Vamos começar? Só não esqueça de compartilhar com seus amigos e deixar seus comentários, assim podemos saber sua opinião e melhorar constantemente o conteúdo deste guia.

QUEM? QUANDO? ONDE?

Foto de um par de patins antigos

Os primeiros patins foram criados por volta de 1760 e eram constituídos por uma única linha de rodas. No século seguinte, manteve-se o mesmo alinhamento. Embora existissem melhorias, os “patins” estavam longe de serem versáteis e o belga Joseph Merlin, um mecânico e fabricante de instrumentos musicais, idealizou uma roda metálica, dando origem ao modelo usado atualmente. Porém, este invento na época não obteve sucesso, pois a utilização de duas rodas (uma em cada pé) tornava o equilíbrio muito difícil e o metal das rodas desgastava rapidamente o piso dos rinques, que eram de madeira.

Assim que a invenção ficou pronta, Joseph queria mostrar sua obra a sociedade local, pensou então em fazer uma apresentação triunfal, ele era violinista e resolveu reunir seus "dons", entrando em uma festa, deslizando em seus patins e tocando violino pelo salão. Foi exatamente o que ele fez! Bom, Joseph não era um bom patinador, sem contar, que os mesmos ainda não possuíam freios, eis que não conseguiu parar e caiu sobre um espelho.

Apesar de ser uma ideia interessante, os patins não se tornaram populares de imediato, no entanto muitos inventores anônimos passaram a trabalhar a idéia de Merlin, melhorando-a. O objetivo: fazer patins seguros e fáceis de utilizar.

Foto de John Joseph Merlin, Inventor dos Patin

John Joseph Merlin - Inventor dos Patins.

A primeira patente do que viriam a ser os novos patins, foi de M. O Petitbled, na França em 1819, e em seguida em 1823, Roberto John Tyers patenteou o modelo "Rollito". No registro da patente, o "Rollito" era descrito sendo um "aparelho com rodas fixado aos sapatos, botas ou outro elemento que cubra o pé, com o propósito da necessidade de locomoção e lazer". O "Rollito" foi feito com cinco rodas que se fixavam em linha reta. Esse modelo de patins conquistou o público, e desde então, não parou de se sofisticar.

A partir de 1863, com melhorias feitas por James Leonard Plimpton, que foi também o fundador da primeira associação de patinagem de rodas de Nova Iorque (NYRSA), os patins foram ficando cada vez mais parecidos com os atualmente, chamados de patins tradicionais (com dois pares de rodas paralelas em cada pé), ou "quad", como são reconhecidos popularmente nos E.U.A. Em 1977, o Comitê Olímpico Internacional - COI, reconheceu oficialmente a Fédération Internationale of Roller Skating – FIR.

BENEFÍCIOS DOS PATINS

Imagem ilustrativa de uma mulher com patins

Andar de patins emagrece da mesma forma que fazer uma caminhada ou pedalar, mas você sabe que nenhuma atividade, incluindo patinar, pode especificamente queimar apenas gordura abdominal. A gordura que você queima como resultado dessa atividade será gordura do corpo todo.

Patinar é uma atividade que melhora os níveis de forma da pessoa. Pessoas que fazem essa atividade melhoraram o desenvolvimento e força do sistema cardiovascular, e melhoraram a capacidade dos pulmões, além de tonificar os músculos. Patinação inline por uma hora pode te ajudar a queimar calorias, tanto quanto você queima enquanto corre, assim como fortalece seus tecidos conjuntivos e músculos.

Outras vantagens

Infográfico mostrando os benefícios da patinação
  • Quando se anda de patins há melhoras na postura e no condicionamento físico.
  • Aumento da resistência muscular.
  • Auxilia no desenvolvimento da coordenação motora e também melhora o condicionamento respiratório.
  • Fortalecimento dos ossos, músculos e ligamentos.
  • Gasto calórico. Esta queima calórica é relativa, varia de acordo com metabolismo de cada um, do peso corporal, do tempo e intensidade da atividade, mas pode-se queimar até 800 calorias em 1 hora de patinação.

TIPOS DE PATINS

Foto de um rapaz escolhendo um par de patins

RECREAÇÃO – "OS PATINS DE SUPERMERCADO”

Os patins de recreação são simples, aqueles baratos que encontramos nos supermercado. Sua estrutura é fabricada em plástico simples, por isso possuem uma durabilidade baixa, é difícil realizar manobras, ter agilidade, ou alcançar velocidades. Muitos optam por esses patins pela falta de conhecimento no assunto, preço reduzido, ou acessibilidade.. Todo acessório usado para praticar um esporte deve ter tecnologia e matéria prima pensadas na prevenção da saúde do usuário, com os patins não é diferente, os patins devem ser de qualidade, por isso nossa dica é: muito cuidado ao escolher esses modelos, pois os mesmos não são aconselháveis para longos trajetos ou uso continuo, os patins interferem diretamente em nossa postura, marcas muito baratas podem ter desalinhamento da base, e os resultados vão ser dores e problemas na coluna ou joelhos. Como somos uma empresa 100% interessada no bem estar dos nossos clientes, não comercializamos esse material em nosso site.

FITNESS

Foto de um patins fitness

Esses são os verdadeiros patins de passeio, podem ser também denominados de recreação, mas aqui o nível de qualidade dos patins é outro. A maioria dos patinadores se encaixa nessa modalidade. Esses são os patins para quem quer passear no parque, nas pistas ou nas ruas, eles possuem um preço mais alto do que os patins de recreação, mas valem o investimento, pois suas especificações protegem sua saúde. Aqui a base é fabricada em composite, alumínio ou (raramente) em magnésio (iremos falar sobre esses materiais mais adiante). O conforto da bota é maior, mesmo após horas de uso, pelo fato de que a bota prende os pés em três pontos: presilha superior na canela, o velcro ou presilha no calcanhar e o cadarço na parte da frente. Eles garantem estabilidade, agilidade, eficiência e velocidade, ou seja, o patinador tem muito mais controle.

Existem várias marcas de patins fitness no mercado, e a diferença entre um modelo fitness de marca X e Y podem variar significativamente. Por isso, pesquisa é um fator importante. Temos muitos patins fitness em nosso site, clique aqui e veja qual se enquadre em suas necessidades.

DICA – Patins fitness ganham uma sobrevida considerável quando usados em superfícies lisas como tábua de corrida e granito, contudo nada impede que você o use em parques ou ruas asfaltadas.

FREESTYLE – STREET - AGRESSIVE

Foto de um patins para Street

Podem ser denominados dessas 3 formas, seria aquela patinação ao estilo livre pela cidade, o próprio nome já diz, podemos descrever como um mix das diversas modalidades existentes, como: saltar, realizar manobras, slides, giros, correr, descer corrimões, deslizar em bordas, fazer da infraestrutura das ruas a sua pista, ou simplesmente patinar por diversão com os amigos. Não existem regras nem locais específicos para a prática, apenas diversão ao andar por ai e explorar suas habilidades. Os patins dessa modalidade precisam ser mais robustos e resistentes, pois sofrem muito mais impacto, diferentes marcas utilizam diferentes especificações, o mais comum seriam duas ou quatro rodas menores em cada pé e com perfil baixo, o que garante maior estabilidade nos saltos. No centro da base, existe um bloco maciço usado para deslizar o patins em corrimões, este bloco garante maior durabilidade da base durante as manobras.

SLALOM

Foto de um patins para Slalom

Modalidade que realiza a driblagem de cones, curvas acentuadas ou uma dança sobre patins. Aqui a intenção é contornar os obstáculos, se movimentar, enfim, fazer arte. Os patins usados no Slalom são parecidos com os patins de fresstyle, podendo ser usado o mesmo modelo para ambas modalidades, o pé fica preso mais firmemente, as bases são reforçadas e mais curtas e ele não possui freio no calcanhar, obrigando o patinador a frear de outras formas. Os patins de slalom são projetados para suportar movimentação lateral brusca, sem que o pé perca apoio.

VELOCIDADE – SPEED

Foto de um patins Speed

Essa é a patinação para os corajosos e experientes, ela envolve muita velocidade, geralmente é praticada em ambiente controlado, em circuito fechado (indoor) ou em ruas pouquíssimos movimentadas e muito lisas. Os patins são diferenciados, suas botas parecem sapatilhas, confeccionada em fibra de carbono, base de alumínio de alta tecnologia anti fricção e rodas grandes (110mm na maioria dos casos). As competições geralmente ocorrem em pistas ovais e os atletas alcançam altas velocidades, nas curvas os atletas precisam inclinar o corpo num ângulo entre 45 e 50 graus para aliviar a ação da força centrífuga, evitando assim uma caída ou acidente. Por não possuir Cuff (Sustentação no tornozelo) não é aconselhado para iniciantes, pois somente com treinamento é possível dominar esse tipo de calçado.

GELO

Foto de um patins para gelo

Podem ser patins de recreação, fitness, artístico ou velocidade, porém ao invés de rodas, possuem lâminas para deslizar no gelo.

VERTICAL

Foto de um patins para Vertical

Patinação praticada em Half pipes, rampas em formato de U onde são feitas acrobacias, saltos com giros e slides. Os patins usados aqui são do tipo Street. Consiste em realizar as melhores manobras e saltos em um determinado período de tempo. O maior salto já registrado no Guinness Book foi de Tag Khris em Paris no ano 2000, alcançando 3,1 metros de altura.

DOWNHILL

Foto de um patins para Downhill

Modalidade bastante arriscada, indicada apenas para os mais corajosos e experientes. Exige o uso de equipamentos de proteção iguais aos de um praticante de motovelocidade, como o uso de macacão, luvas e um capacete fechado pois em uma queda em alta velocidade o risco de traumas é grande.

Sua pratica é feita em ruas com ladeiras, estradas e serras. Os patins usados aqui possuem uma base mais longa e 5 rodas para oferecer maior estabilidade aos patins quando em alta velocidade.

QUAD - CLÁSSICO

Foto de um patins Quad Clássico

As rodas estão dispostas como em um Skate, duas na frente e duas atrás, promovendo o equilíbrio e facilitando a prática aos iniciantes. Muito recomendado a crianças.

É usado em patinação artística, que envolve dança e por praticantes Rollerderby, modalidade de alto contato. A maioria dos times são femininos e é praticado com patins de rodas paralelas sobre uma pista oval em uma espécie de corrida.

PATINS AJUSTÁVEIS

Foto de duas meninas com patins inline

Patins com numeração ajustável são uma ótima opção para crianças, jovens, ou adultos que tenham dúvidas sobre qual numeração escolher. Isso porque, com um simples ajuste, eles podem ser adaptados ao melhor encaixe aos pés.

Em nosso site, possuímos três linhas de patins adulto que podem ser regulados, sendo elas: Pro Roller, Clássicos, e All Style, todos da fabricante Bel Sports.

Foto de um patins ajustável

Observe na foto, a presença de um botão com o texto PUSH, uma vez acionado para trás torna possível o ajuste para que os patins fixem na numeração desejada.

Como comprar patins para crianças

Foto de um bebê com patins

Comprar patins para crianças com numeração fixa, pode ser um desperdício, isso porque, crianças crescem rápido e tão logo perdem suas numerações. Aqui na Monster Sports comercializamos patins ajustáveis, e sim, ele irá acompanhar o crescimento dos pés dos pequenos. Possuímos modelos da Fila, Roces e Bel Sports.

COMPONENTES DOS PATINS

Foto de um patins inline

Está na hora de você conhecer melhor os patins, pois sabendo mais sobre os componentes será ainda mais fácil escolher qual o melhor modelo para você.

Bota

Foto de uma bota de patins

A bota é o esqueleto dos patins, é a parte onde se prendem todas as estruturas e onde fica a espuma de revestimento interno (liner).

Quando produzida em plástico ou materiais mais resistentes é chamada de Shell (concha em inglês), atualmente é comum as botas externas serem feitas de materiais mais macios e flexíveis, principalmente patins voltados ao fitness. Fazendo uma comparação com um carro, o shell é como se fosse a lataria. A maioria dos patins fabricados atualmente utilizam plástico na bota, alguns também tem uma “pele” em cima do escudo para que eles fiquem como “calçados esportivos”, ou se parecendo com tênis.

Por conta dos diferentes tipos e estilos de patinação, as botas variam de tamanho, formato e material de construção, os patinadores de agressive contam com botas mais rígidas, que aguentam pancada e são mais pesadas por conta do seu material mais resistente, já os patinadores fitness contam com botas menos resistentes, porém confortáveis e leves, já os patinadores de velocidade contam com uma bota quase no formato de um tênis e extremamente leves.

CURIOSIDADE: Algumas botas externas podem ser moldadas por calor. É o caso de determinadas botas de agressive e de corrida, no qual o atleta pode colocar, literalmente, a bota dentro do forno e aquece-la, para que depois a bota seja moldada perfeitamente com o formato do pé, após resfriamento da bota, garantindo um conforto e manobrabilidade e desempenho incomparável.

Sistema de ventilação da bota

As botas externas contam com sistema de ventilação que mantem o pé respirando e refrigerado, além de prevenir odor dentro de seus patins. O tamanho da ventilação varia de patins para patins.

Sistemas de absorção de impacto

Algumas botas possuem sistema de absorção, que auxiliam na absorção dos impactos causados pela patinação, aumentando consideravelmente o conforto do atleta, além de oferecer segurança em manobras e situações que exigem mais dos pés.

Liner – Espuma Interna

Foto de um liner para patins inline

Trata-se da espuma interna removível dos patins, Liner seria a bota interna. Ela é a maior responsável pelo conforto dos pés na patinação, a maioria das botas internas são feitas com um tipo de espuma com memória para ajudar a encaixar nos pés. É mais comum encontrar liners mais elaborados em patins de estilo agressivo, afinal é a modalidade no qual o pé do atleta mais sofre impacto. Alguns patinadores usam liners de patins agressive em patins fitness ou freestyle/urban, tanto para garantir maior conforto quanto para uma customização de seus patins. No exterior é comum encontrar lojas que vendem este item separado, já no Brasil é bem difícil.

Há também os Xsjado, que são patins um pouco diferentes. Exteriormente são compostos de plástico como os demais, porém, não possuem bota interna (ou linner), sendo seu uso feito com tênis original da marca ou um de preferência do usuário.

Fita de Puxada

Foto de uma fita de puxada para patins inline

A fita de puxada normalmente fica localizada no topo dos patins, alguns dizem que ela é feita apenas para carregar seus patins, outros dizem que ela é feita para puxar seus patins na hora de vesti-los.

DICA: Cuide da sua fita de puxada, não puxe com força, visto que a reposição de materiais no Brasil não é tão simples.

Cadarço de Liner

Cadarços liner para patins inline

Liners de Agressive, normalmente vem com um cadarço próprio, ou seja, seus patins além de ter o cadarço da bota externa (Shell), ainda tem o cadarço do liner.

Sistemas de Fechamento

Foto de um patins

Parte mais que essencial nos patins, servem para que seus pés se mantenham no lugar, todos patins possuem um dos três itens abaixo, ou uma mistura deles para melhor fixação, uma boa fixação é essencial para o bom desempenho da patinação, além de garantir sua segurança.

São as travas que ficam na altura da canela, suas cintas podem ser de velcro ou algum tipo de plástico, e seus receptores normalmente são feitos de algum tipo de plástico ou metal, ou ambos, e devem ser presas confortavelmente, de modo que não fiquem muito apertados na canela.

Trava e Velcros de 45º

Foto de uma de 45º para patins inline

São as travas que ficam sob o peito do pé, e também podem ser em velcro ou algum tipo de plástico, essas travas são responsáveis por manterem o calcanhar do patinador no lugar, evitando o mesmo de escorregar.

Cadarços

Foto de um cadarço para patins

Mais uma garantia para que os pés continuem sempre no mesmo lugar enquanto patina, existem vários tipos de cadarços para patins, os mais comuns são os cadarços padrões, basicamente o mesmo usado em tênis e sapatos.

Existem também os de corrida e o sistema TFS muito usado em patins da marca Rollerblade, tal sistema agiliza o fechamento do cadarço com apenas uma puxada. Como cadarços são itens de fácil acesso no mercado, e de preço baixo, são os que mais podem ser customizados.

Freios

Foto de um freio para patins

Os freios são uma excelente ferramenta para patinadores iniciantes, ajudam o patinador a desenvolver suas habilidades, sua velocidade e equilíbrio, além de ganho de confiança para quem esta iniciando. O freio está incluso em quase todos os patins vendidos, pode ser substituído por um novo assim que a borracha chegar no seu limite, normalmente marcado no próprio freio.

Instalação do freio

  1. Afrouxe o parafuso para a última roda.
  2. Remova a roda.
  3. Insira o bloqueio de freio, alinhando os furos de parafuso na base e no freio.
  4. Insira o dente sobre o freio na ranhura na parte do trás da base.
  5. Insira a roda.
  6. Aperte o parafuso de fixação da roda (se estiver removendo o freio, aperte a roda utilizando o parafuso mais curto fornecido com os patins).

Parafusos

Parafusos para patins inline

São os responsáveis por manter as rodas presas nas bases, os parafusos podem ter diversos formatos, na maioria são allen, alguns deles se prendem na própria base, outros se prendem em um tipo de macho-fêmea.

DICA - Parte importante, os parafusos também podem gerar um dos maiores problemas para os patins, quando a cabeça do parafuso espana, por isso, cuidado extra com essa peça na hora da manutenção.

Parafuso de montagem de base

Como seu próprio nome sugere, é o parafuso responsável por fixar a base dos patins ao Shell (bota externa).

Geralmente só podem ser vistos detalhadamente quando retiramos as rodas dos patins, pois ficam na parte interna da base.

Nem todas as bases são removíveis, contudo optar por um modelo que tenha essa funcionalidade é uma boa, afinal, em caso de desgaste ou quebra é fácil trocar a peça, gerando um investimento bem menor do que trocar todo o par de patins.

Base

Foto de uma base para patins

Ela parece uma simples peça, mas talvez possamos classificar como a parte mais importante dos patins, as bases tem como função principal conectar a bota externa (Shell>) aos rolamentos e rodas.

O tipo de base utilizado pode mudar drasticamente o uso dos patins. Como vimos anteriormente, a patinação possui várias modalidades, e essas variações se refletem nas bases, uma base para agressive normalmente tem um tamanho reduzido, é feita de algum tipo de plástico muito resistente, e permite rodas com um tamanho menor, normalmente essas bases vem com um formato chamado H, onde no meio, ao invés de rodas temos duas peças de plástico, chamadas de Anti-Rockers que servem para deslizar em corrimão e beiradas o que é ideal para o estilo, já para a patinação fitness temos em geral, bases feitas em alumínio, composite ou magnésio, leves e que aceitam rodas bem maiores, ideal para ganho de velocidade e suavidade ao patinar. Já as bases para patins de corrida, são muito leves, feitas de material de alta qualidade, e aceitam uma configuração de roda bem grande, garantindo muita velocidade.

Uma bota externa (Shell), pode conseguir receber vários tipos de base diferentes, um mesmo patim, pode conseguir receber bases de agressive, base fitness e base de corrida, tudo depende da fabricante, do formato da base e de seus parafusos, é muito interessante a gama de opção para customização que os patins podem receber, e as bases são responsáveis pelas maiores mudanças, sejam elas visuais, de estilo ou categoria.

As bases em alguns modelos de patins também podem ser configuradas em diferentes posições, você pode fazer pequenas alterações na posição, mudando alguns milímetros a base para a esquerda, direita, frente ou para trás, de acordo com a sua necessidade.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Isso deve ser feito por patinadores experientes, em contato com a fábrica dos patins, sempre verificando a compatibilidade.

Algumas bases possuem configurações na qual permitem rodas de tamanho diferentes sem que nenhuma delas fique sem encostar no piso. É o caso do Rollerblade Maxxum 100, que possui 3 rodas de 100mm e 1 de 90mm, mantendo rodas grandes para um ganho considerável de velocidade mas com um tamanho final da base menor.

Bases curtas ajudam na agilidade e poder de manobra dos patins; bases longas ajudam no equilíbrio e na velocidade dos patins.

Materiais utilizados nas bases

Quando o vendedor chega e fala: “Ah esses patins são melhores porque tem bases de alumínio”, entramos em uma questão interessante. Muitos confundem a base como sendo a parte inteira do patins, mas não é.

Aluminio

Base em alumínio para patins

O alumínio é característico por ser um material leve e durável, suas especificações trazem exatamente esses benefícios aos patins, são mais firmes, e garantem uma resposta mais precisa, por serem leves, embalam com bastante facilidade. Se sua intenção é ter um par de patins com maior durabilidade, maior precisão e velocidade, essa é a escolha certa.

Você irá observar, que a maioria dos patins, possui como especificação: Alumínio extruded série 6005. Mas afinal, o que isso quer dizer?

Extrusão de alumínio se refere a uma técnica utilizada para transformar a liga de alumínio em objetos com um perfil em corte transversal definitiva para uma ampla gama de utilizações. Mas e o 6005? É o tipo liga de alumínio voltado a produtos que exigem resistência moderada , sendo recomendadas para aplicações onde a estrutura pode ser submetida a impactos ou super carregamentos devido a sua ótima característica de resiliência.

DICA – Patins de alumínio são de fato mais rápidos do que os com base em composite, se estiver iniciando, saiba que terá um pouco mais de dificuldades para controle, durante o início da sua prática, com a obtenção de maior experiência, isso se tornará imperceptível. Se possui experiência e preza por performance, saiba que aqui esta a escolha certa. Quem pesa mais que 100kg deve sempre optar pelo alumínio.

Composite

Base em composite para patins

Em teoria, um composite é um material composto por matriz e reforço de origens diferentes. Os composites mais conhecidos e mais usados são os que se compõem de matrizes poliméricas (plásticos termofixos, ou seja, cujas propriedades físicas e químicas não variam com a temperatura) e de fibras minerais (de vidro, carbono e aramida, principalmente), variando os materiais e fabricante.

Comparado com o alumínio, o composite possui especificações inferiores, tanto em qualidade como em durabilidade, patinadores mais pesados, ou que moram em cidades muito quentes, com temperatura acima de 40°, devem evitar o composite, visto que se expostos a tais condições, estão mais propícios a deformação do material.

Quem quer uma patinação simples, mais segura, estará bem atendido com os modelos em composite, essa é uma dica valiosa, para escolha de patins de criança, pois eles oferecem controle, são mais lentos e estáveis.

Magnésio

São raros os patins com base de Magnésio, principalmente pelo alto custo envolvido a esse material. São mais leves e mais resistentes do que o alumínio, indicados a quem não se preocupa com o valor do investimento e quer mesmo o que há de maior tecnologia.

Rolamentos

Foto de rolamentos para patins

Os rolamentos são os responsáveis por determinar a velocidade do seus patins, aliados a roda, esses itens irão tornar os patins mais lentos ou mais velozes.

Quanto a velocidade de seu rolamento, atente-se a classificação ABEC, pois ela denota a qualidade dos materiais e precisão utilizados na fabricação do rolamento. Rolamentos de uma notação superior são de maior qualidade.

Embora não varie em tamanho, eles variam em qualidade. Quando você optar por comprar rolamentos de baixo custo, eles tendem a ser feitos com materiais mais baratos. Os rolamentos mais caros são realmente feitos com melhor vedação e esferas de metal com qualidade superior. Existem também rolamentos de diferentes materiais (Aço, Cerâmica, Osso, etc..)

Classificação ABEC nos rolamentos

A maioria dos rolamentos possuem a classificação de qualidade ABEC. Quanto maior o rating ABEC, mais exato e rigoroso o rolamento será. Este sistema de classificação inclui notas 1, 3, 5, 7, 9, 11, 13 e 15. Quanto mais perto você chegar a uma classificação ABEC 15, menos atrito e mais rápido o rolamento será.

Um dos problemas da classificação ABEC, é que esta é uma classificação industrial, utilizada para rolamentos de máquinas, engrenagens e outros produtos. Os rolamentos foram criados muito tempo antes de pensarem em aplica-los aos patins.

Os patins mais caros possuem rolamentos designados de precisão que aparecem marcados com a escala ABEC 5, ABEC 7 ou ABEC 9. Os patins mais acessíveis utilizam rolamentos de menor precisão como o ABEC-1 e ABEC-3.

Dicas importantes

Cada roda de seus patins precisam de 2 rolamentos, se seus patins possuem 4 rodas em cada pé, você irá precisar de 2 jogos de rolamento, somando assim, 16 unidades.

Se precisar efetuar a substituição dos seus rolamentos, há uma ótima noticia, os rolamentos de patins são os mesmos que os rolamentos de skate, e as indústrias de skate produzem rolamentos através de altos investimentos e tecnologia, como é o caso dos rolamentos Monster, Bones Reds ou Mini Logo.

Rodas

Foto de um conjunto de rodas de patins

Rodas são o componente dos patins que irão estar em contato com o solo, e sua qualidade é essencial, rodas ruins impediram boa performance.

MATERIAIS DAS RODAS

  • PVC – Trata-se de um plástico de baixa performance, usado em patins antigos, de pouca qualidade, ou em alguns casos em patins clássicos.
  • Poliuretano - É o melhor material disponível para fabricação das rodas, quer uma boa roda? Use as de poliuretano! Esse material está dominando a indústria de skate, longboard e patins, devido as suas propriedades químicas, oferecem durabilidade e resistência à abrasão. Além de seus benefícios de desempenho, as rodas de PU também são relativamente mais baratas de fabricar, assim você não tem que pagar muito para conseguir um produto de qualidade, afinal elas duram muito tempo e troca-las será algo que fará com pouquíssima frequência.
  • ”GEL” - Rodas de gel não existem, elas são denominadas com esse nome, mas rodas de “gel” na realidade são rodas em pvc ou poliuretano transparente.

Tamanho das rodas

Tamanho de rodas para patins

O Diâmetro das rodas é a circunferência da roda medida em mm. Quanto maior o diâmetro, mais rápida será a roda. Em contrapartida quanto menor, mais lenta, porém mais estável.

Como escolher o tamanho ideal para as rodas?

  • Rodas de 80mm são indicadas para iniciantes.
  • Rodas de 84mm são indicadas a intermediários.
  • Rodas acima de 100mm são indicadas aos máximos experientes.

Quando tiver que escolher um tamanho de roda para os patins, considere o quanto de experiência possui. As rodas maiores são mais rápidas e mais difíceis de controlar. Um patinador iniciante deve ater-se às rodas menores, que são mais fáceis e não são tão rápidas. Patinadores mais experientes podem escolher rodas maiores, para maior velocidade. Rodas que têm entre 72 mm e 80 mm são consideradas de bom tamanho para uma habilidade média, para um patinador recreacional.

Outro detalhe muito importante é certificar-se de que as rodas dos patins caibam apropriadamente na estrutura das botas. O manual do usuário que vem com os patins deve listar diversos tamanhos, que funcionarão com cada modelo específico, se não tiver acesso a essa informação, procure a assistência da fábrica dos seus patins, para obter a informação correta.

Pense também sobre como os patins serão usados mais frequentemente. Por exemplo, para jogar hóquei sobre patins, o tamanho das rodas deve ser menor, porque respondem rapidamente e o controle é exigido nesse jogo. Para corridas competitivas, a velocidade é mais importante, então as rodas devem ser tão grandes quanto a habilidade do patinador permitir.

DICA - Saiba que rodas maiores duram mais do que as menores. As rodas grandes exigem menos rotações do que as menores para andar a mesma distância, por isso as menores vão desgastar mais rapidamente.

Como fazer rodízio nas rodas dos patins

Conforme mencionamos, o rodizio é um procedimento simples e que aumenta o tempo de vida útil das rodas. Segue dica de rodizio a seguir.

Instruções

  1. Retire a primeira roda (a frontal) do patim esquerdo e coloque-a na terceira posição do patim direito. Encaixe a terceira roda no primeiro espaço do pé esquerdo.
  2. Repita o primeiro passo no patim direito.
  3. Retire a segunda roda do patim esquerdo e coloque-a na quarta posição do patim direito. Coloque a quarta roda no espaço aberto do patim esquerdo.
  4. Repita o terceiro passo no patim direito.
  5. Experimente uma rotação diferente se os patins ficarem desconfortáveis. Mova as rodas da posição quatro para a posição um, e depois um para dois, dois para três e três para quatro. Coloque as rodas do patim esquerdo no direito.

Cuff

Cuff dos patins inline

O Cuff é a parte dos patins que envolvem e seguram os tornozelos. É ele quem possibilita realizar manobras em que se dobra o pé com segurança sem o risco de torção. Alguns modelos novos com tecnologia “v-cuff” permitem movimentos que quase fazemos quando estamos descalços, tudo isso oferecendo total segurança ao patinador.

ARTICULAÇÃO DO CUFF

Permite a articulação para frente e para trás quando patinando,  os modelos de primeira linha tem um alcance maior de movimento comparado com os patins de menor qualidade, e o maior movimento consequentemente nos dá muito mais suavidade ao patinar.

Soulplate

Souplate dos patins inline

O Soulplate é a placa que permite a realização dos encaixes em quinas e canos. Graças ao Soulplate pode-se deslizar realizando manobras. Em algumas manobras aéreas em que se segura os Patins, os Soulplate também são usados. É neles em que se segura com a mão.

Backslide

O Backslide é a concavidade que fica no meio dos Patins entre os Soulplates da frente e de trás.

Certas manobras só são possíveis com essa concavidade que se prende ao corrimão após o salto. Em alguns modelos de Patins o Backslide é separado do Soulplate, e em outros é junto.

H-Block

H-Block dos patins inline

O H-Block é o meio da base. Essa região é de muito contacto em todas as manobras. O desgaste nesta área é muito grande. Esse bloco no meio deixa a base mais resistente não deixando que ela se quebre facilmente, possibilitando o uso por meses. Alguns modelos de base tem o H-block freestyle. Esse tipo de H-block toma todo o espaço da base não permitindo a utilização de rodas no meio.

COMO AMARRAR SEUS PATINS

Foto de uma mulher amarrando os cadarços do patins

A forma como estão aplicados seus cadarços pode parecer algo banal, mas sua correta amarração é fundamental para o bom funcionamento do equipamento, sua durabilidade e desempenho. Não importa se você faz patinação artística, joga hóquei no gelo ou simplesmente anda de patins, mas laços bem ajustados são a chave para uma boa forma. Embora todos os patinadores apertem os cadarços enquanto os amarram, o segredo para laços bem firmes é uma boa técnica. Existem diversas técnicas, que demonstraremos a seguir:

Modo de bloqueio

Denominado também como método cruzado de amarração, que consiste em passar os cadarços por cima do buraco, sempre de "fora" para “dentro” da bota. Siga o processo até o fim, inclusive passando por dentro da “parada de laço”, que serve exclusivamente para manter alinhamento da lingueta durante a utilização dos patins.

Ao calçar os patins é importante lembrar de puxar a lingueta até que a bota fique firme, mantendo o calcanhar bem apoiado sobre o salto. Após isso certifique-se que a amarração não exerce pressão excessiva sobre o peito do pé. Na área do tornozelo é recomendável executar a mesma amarração cruzada, usando todos os ganchos disponíveis.

ATENÇÃO - A pressão excessiva na amarração dos cadarços limita a circulação sanguínea e dificulta flexão do tornozelo e pressiona o tendão de aquiles. Portanto a correta pressão nos ganchos deve ser suficiente para garantir o perfeito apoio lateral e resistência vertical, para garantir a proteção do tornozelo e tendão de aquiles.

Laços em forma de zíper

A amarração em forma de zíper prende os cordões juntos em cada ilhós. Isso permite aos laços inferiores continuarem firmes e sem escorregar, enquanto se ajusta a parte superior. Passe o cadarço através das duas voltas inferiores em cada lado. Leve cada ponta para cima através da volta e por baixo do fio principal do laço. Cruze a ponta sobre o próximo ilhós no outro lado. Repita o processo até chegar na parte superior. Amarre os cadarços no topo com um laço comum.

Amarrando com nós

Passe o cordão através das duas voltas inferiores em cada lado. Cruze as pontas do cadarço uma sobre a outra duas vezes, para criar o nó simples. Passe a ponta do cordão pelo próximo ilhós no lado oposto do qual ele saiu. Repita o processo em cada nível, até que chegue no topo. Amarre os cordões juntos no topo com um laço comum.

Amarrando com treliça nós

O design de treliça cria uma seção de treliça transversal no meio dos patins. Passe o cordão através das duas voltas inferiores em cada lado. Insira o cadarço de cada ilhós três lugares para cima o lado oposto. Leve cada laço de volta por baixo do ilhós dois lugares para trás no lado oposto e através da volta. Repita o processo, trançando os cordões superiores para dentro e para fora um do outro, criando o efeito de treliça. Faça isso em cada nível, até chegar na parte superior. Amarre o cadarço no topo com um laço comum.

Amarrando em barras nós

Amarrar os patins em barras elimina o cordão diagonal embaixo dos laços, o que pode reduzir a pressão na parte superior do pé. Passe o cadarço através das duas voltas inferiores em cada lado. Insira uma ponta para baixo e para cima no ilhós diretamente sobre ele. Passe a outra ponta por baixo e para cima no ilhós a dois lugares para cima. Cruze cada cordão para baixo no ilhós oposto. Repita o procedimento subindo nos ilhós, alternando qual ponta pula um ilhós por vez. Faça um laço comum na parte superior.

PASSOS PARA AJUSTES DOS PATINS

Foto de uma mulher amarrando os cadarços do patins

Calçando os patins

Abra os mecanismos de segurança, como travas, fivelas e cadarços.

  1. Posicione seus pés nos patins, verificando se os mesmos estão confortáveis.
  2. Ajuste os cadarços, de modo que fiquem firmes, porém sem apertar demais.
  3. Feche os mecanismos de segurança.

Como funcionam as fivelas

As fivelas possuem mecanismos de ajuste, permitindo que qualquer pessoa obtenha a pressão de fechamento que lhe for melhor. Para fechar, ajustar e abrir, basta realizar alguns movimentos simples.

Para abrir:

  1. Primeiro levante a fivela de fechamento,
  2. Pressione a trava e remova a correia dentada.

Para fechar

  1. Insira a correia dentada na trava e, mantendo a fivela levantada, passe a correia pela trava.
  2. Para completar a operação, feche a fivela.
  3. Para apertar, abra a fivela e empurre a correia dentada para frente um ou dois encaixes, então feche a fivela.

Para descansar

Foto de uma mulher amarrando os cadarços do patins

O fechamento da fivela pode ser solto temporariamente, por exemplo, durante um período de intervalo:

  1. Levante um pouco a fivela. Coloque sua alavanca em sua configuração anterior.
  2. Para retornar ao aperto de fechamento anterior, feche a fivela.

Alongamento antes de patinar

Apesar de subestimado pela maioria dos patinadores, o alongamento é importante para manter a mobilidade e suavidade dos movimentos, além de preservar sua saúde.

Pode ser realizado um alongamento suave, realizado de forma correta, recomenda-se alongar os músculos até um ponto de suave tensão, segurando a posição por 10 a 30 segundos, sem sentir dor. Se você alonga até um determinado ponto que não se sente confortável ou sente dor, é aconselhável que diminua um pouco a intensidade do alongamento até que alcance um ponto que se sinta confortável.

Para um alongamento avançado, parta da posição que você estava se mantendo no alongamento anterior e vá um pouco mais longe até sentir novamente uma leve tensão nos músculos. Novamente mantenha a posição por 10 a 30 segundos. Aos poucos você vai sentir a tensão no músculo diminuir. Novamente, se você não se sentir confortável diminua a intensidade do alongamento.

Como se adaptar aos patins e deixa-los confortáveis

Foto de uma mulher amarrando os cadarços do patins

Assim como os demais calçados, os patins ficam mais confortáveis com o passar do tempo, ficando muito mais confortáveis, o que significa menos bolhas, menos cansaço e mais diversão com patins.

Dicas

Compre patins de boa qualidade e com um bom encaixe. Amaciar as suas novas botas será muito mais fácil se você comprar um par de qualidade que se encaixe razoavelmente bem nos seus pés desde o início. Você deve poder mexer os dedos, e as botas não devem escorregar dos pés.

Amacie os patins calçando-os sem necessariamente patinar com eles. Para que seus pés se acostumem com eles e eles se ajustem a seus pés.

Faça isso em momentos ociosos durante a semana, se quiser patine alguns minutos no quintal ou varanda de sua casa, pois assim você além amacia-los, já vai se acostumando a se equilibrar em cima deles.

Patine por períodos muito curtos no começo, e pare mesmo que os seus pés não estejam doendo. Não fique ansioso demais. É melhor concluir o processo de amaciamento sem ganhar uma única bolha. Aumente o seu tempo aos poucos e pare assim que sentir qualquer dor. Os cadarços devem estar mais frouxos, a sua velocidade deve ser baixa e não faça qualquer manobra. Vá com calma. Haverá bastante tempo para patinar de forma mais empolgante quando as botas estiverem amaciadas.

Calçar meias extras durante o período de amaciamento é uma excelente ideia. Muitos atletas de vários tipos (incluindo patinadores) usam dois pares de meia regularmente. As meias não só amortecem o seu pé, mas também diminuem a fricção.

DICAS DE PATINAÇÃO

Foto de uma mulher amarrando os cadarços do patins

Antes de começar a patinar recomendamos que você literalmente caminhe em uma superfície que não escorregue, como grama, tapete, forração, etc. Para que se acostume com a sensação de se equilibrar sobre os patins.

Não tenha vergonha, peça ajuda

Aprender com a ajuda de alguém é muito mais fácil, por isso sugerimos segurar em uma pessoa adulta, sempre com a sua mão esquerda, deixando o seu braço direito um pouco estendido ao lado do corpo para melhorar o equilíbrio.

Mas e se não tiver ninguém para me ajudar?

Então segure em uma parede, barra ou borda lateral, com a sua mão direita deixando o seu braço esquerdo um pouco estendido ao lado do corpo para melhorar o equilíbrio. Se não tiver paredes com espaço, barras ou bordas laterais no local onde você esta começando, não deixe de achar alguém para lhe ajudar, pelo menos até você adquirir um pouco mais de equilíbrio.

Como devo me posicionar inicialmente?

Anatomicamente, as duas partes mais pesadas do corpo são a cabeça e o quadril, então estas partes devem estar alinhadas em uma linha reta imaginária (eixo) a qual distribui o peso em cima e no meio dos patins. Inclinar o corpo um pouco para frente será uma tendência natural do iniciante, já que é mais seguro cair para frente do que para trás.

Porque é importante deixar os braços estendidos?

Assim como aqueles equilibristas que caminham em uma corda bamba que usam uma vara para melhorar o equilíbrio, o patinador deve deixar seus braços estendidos ao lado do corpo e um pouco para frente com o mesmo propósito.

Quais são os erros mais comuns?

  • Pendurar-se na barra lateral ou na pessoa que está ajudando com as duas mãos ocasiona inclinação lateral da parte superior do corpo, dificultando assim o equilíbrio e o trabalho da pessoa está ajudando. Este procedimento é normal em iniciantes, provocado geralmente pelo medo de levar o primeiro tombo. Lembre-se que para manter o equilíbrio o seu eixo deve estar localizado no centro do seu corpo, portanto não confunda segurar com pendurar.
  • Empurrar a barra lateral com as mãos para ganhar impulsão pode ser perigoso, ocasionando com que as suas pernas sejam impulsionadas para frente e seu corpo fique preso na barra. Desta maneira, ao invés de ganhar velocidade, você ganhará um tombo.
  • Tentar deslizar de repente ou fazer coisas estranhas provocará, antes que você perceba, a perda de controle no equilíbrio do seu corpo. São estas atitudes que geralmente provocam as piores quedas.

Dicas de Segurança

Como vimos, a patinação é um esporte que permite aos patinadores moverem-se em altas velocidades, enquanto queimam tantas calorias quanto corredores ou ciclistas. A desvantagem é que mais de 32 mil patinadores se machucam a cada ano, de acordo com o Conselho Nacional de Segurança dos EUA. Fraturas no antebraço representam a lesão mais comum entre os entusiastas dos patins, por isso precauções de segurança devem ser o principal foco ao ponderar sobre quais são os perigos da prática

Equipamento de proteção

Muitos patinadores ignoram as regras básicas de segurança, praticando o esporte, sem nenhum equipamento de proteção. Em outros casos, patinadores usam seu equipamento, mas é comum ver o uso equipamento de tamanhos inadequados. Capacetes de segurança reduzem significativamente as chances de lesões cerebrais. Equipamentos protegem os pulsos, joelhos e cotovelos quando caem e batem no chão.

Precauções

Aprenda as técnicas adequadas de cair para que você possa evitar uma lesão grave. Por exemplo, tente agachar seu corpo enquanto você cai no chão para amortecer a si mesmo, de acordo com o site de especialistas em crianças de San Diego. Outro método requer que você caia sobre seus ombros e os quadris antes de rolar para que você espalhe o seu peso de forma mais uniforme quando for ao chão. Pratique essas acrobacias em uma área gramada ou um tapete de ginástica antes de testar suas habilidades no asfalto.

CONCLUSÃO

Chegamos ao final deste guia e ficamos felizes em ter a oportunidade de auxiliar você, cliente e amigo da Monster Sports.

Reunir o material, realizar as fotos e redigir o texto não foi uma tarefa simples, contudo o resultado saiu como esperado: Conseguimos criar o maior material didático para iniciantes em patinação do Brasil!

Agora precisamos de sua ajuda para continuar evoluindo este trabalho, para tanto, contamos com seus comentários, críticas e dicas para tornar este guia ainda melhor, para que aqueles que querem iniciar no mundo da patinação possam encontrar tudo que é necessário para a pratica segura e saudável do esporte.

Não deixe também de visitar nossa loja online e nosso guia de compras para Skate e Longboard.

COMENTÁRIOS

Ainda resta dúvida? Encontrou algum erro ou tem uma dica para melhorar este guia? Agora é a hora, deixe sua mensagem!